ACIU - Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Umuarama
SPC Brasil COB-Online NF-e Canhoto Fácil

Crescente

Aciu alerta para golpe do falso pagamento com Pix

Não basta ver a tela que mostra o valor a ser pago, como no caso de um print encaminhado por Whats, já que ela não garante que o pagamento foi efetivado


A ocorrência crescente de golpes envolvendo o sistema de pagamento instantâneo (Pix) levou o Banco do Brasil (Bacen) a criar novas medidas para combater as práticas, mas a criatividade dos criminosos continua a surpreender.

Em Umuarama, utilizando o nome da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Umuarama, uma mulher ludibriou uma floricultura através de uma compra realizada pelo aplicativo WhatsApp. A empresa amargou um prejuízo de R$ 310.

Após combinar o envio de um buquê de 24 rosas para o conjunto residencial Ouro Branco, a golpista indagou se seria possível fazer a cobrança na sede da Aciu, se passando por colaboradora da entidade. Em seguida mudou de ideia, requerendo o Pix da empresa. Após o recebimento da encomenda, a mulher simulou o pagamento via Pix encaminhando um print para a empresa.

Segundo informações da Polícia Civil, criminosos costumam ter vários celulares para entrar em contato com as vítimas. 

Como se proteger

Para não serem vítimas de golpes do gênero, os comerciantes devem averiguar que o comprovante recebido do cliente se refere à transferência já confirmada. Não basta ver a tela que mostra o valor a ser pago, já que ela não garante que o pagamento foi efetivado pela instituição financeira. A conferência é primordial.

Além disso, é essencial manter-se sempre bem informado e acompanhar as notícias sobre o tema para saber como se proteger. Caso o golpe seja sacramentado, é importante comparecer à delegacia com os prints para a confecção de um boletim de ocorrência.

Quem usa o Pix para fazer pagamentos deve procurar se proteger contra golpes na ferramenta. Confira algumas dicas:

- Tenha um celular protegido com senha e/ou biometria;

- Não o use sem o bloqueio de tela;

- Sempre verifique a identidade de quem está solicitando o Pix;

- No momento de efetivar a transação, confira o destinatário antes de confirmar;

- Em sites que aceitam pagamento por Pix, certifique-se de que o ambiente é verdadeiro — se for falso, o dinheiro vai para o golpista;

- Observe o limite disponível para transferência por Pix: o próprio usuário pode cometer um erro de digitação e atribuir a perda a um golpe;

- Quem não tem familiaridade com o Pix, pode treinar o uso do recurso: faça uma transferência de R$ 1 para um conhecido para testar a funcionalidade.